fragmentos críticos


texto: Vários

CARÍCIAS NA METRÓPOLE

Entre todas as grandes cidades globais é difícil encontrar uma que supere São Paulo no maltrato de sua imagem.

Os pichadores e a publicidade ao ar livre estão transformando a paisagem paulistana num enorme, gigantesco, metropolitano ateliê da agressividade e do mercantilismo. Tudo sob o complacente olhar das autoridades municipais, que fingem não ter recursos para combater os delinqüentes, mas enchem os cofres da Prefeitura com as licenças, Cadans e afins sacados dos arautos do consumismo.

Nessa urbe objeto, a obra de Claudio Tozzi - que por si só já seria um agregado de vida para qualquer cidade - ganha um sentido maior, entre amoroso e abençoado. Em contraponto à brutalidade que mancha e esconde casas e monumentos, há quatro décadas ele vem acariciando a face da cidade com trabalhos que diuturnamente renovam nossa esperança na convivência urbana.

Os painéis que ele criou para os nossos espaços públicos têm uma característica especial, a dualidade. São obras de arte que quebram a rotina do paulistano. Agradáveis surpresas coloridas, pigmentadas ou pontilhadas, moldadas sobre placas de zinco ou pastilhas de vidro, e espalhadas como sementes de persistência e criatividade. Mas igualmente os painéis de Claudio Tozzi têm a propriedade de fundirem-se com seus suportes - seja um prédio ou uma estação de trem -, como um abraço que une dois seres queridos.

O que seria daquela fachada cega do prédio da Praça da República se um dia lhe quitassem a zebra ? Perderia sua personalidade, o colete de individualidade que ganhou já em idade madura. Da mesma forma, é difícil imaginar o que seria pegar o Metrô na Sé sem a cobertura protetora da colcha de retalhos por ele bordada em suas paredes de concreto. Ou idealizar como seria aquele prédio novo da avenida Angélica sem o manto do mosaico de tons azulados tecido em sua gestação.

A cidade é bela e assim quer se mostrar para todos. Só espera que o Tozzi que existe incubado em cada um de nós brote e siga o exemplo de seu filho artista.

Júlio Moreno