obra em construção


a construção de uma linguagem

Transformações importantes vão ocorrer na sua obra a partir da série "Parafuso". Os problemas de apropriação da imagem tornam-se secundários; o artista interessa-se por novas possibilidades gráficas e por novos meios de expressão. Mesmo quando Tozzi apropria-se de elementos de sua própria obra, são reaproveitamentos de um material temático cujo significado principal não está na referência às suas obras anteriores, mas na situação plástica em que elas agora se encontram.

Nessa série, torna-se claro que as diversas abordagens do parafuso correspondem a um processo de reflexão sobre as possibilidades gráficas e metafóricas de um mesmo tema. Cláudio Tozzi elabora inúmeras alternativas, às vezes com pequenas variações, a partir de um único objeto, obtendo múltiplas situações de significado. Apesar disso, há sempre uma predominância do objeto que deu origem ao tema, impondo-se com tamanha vitalidade que as alegorias possíveis, as metáforas, referencias e relações que a obra sugere terminam suas trajetórias no objeto dominante - o parafuso. Essa força vem de um tratamento gráfico rigoroso, acentuado pelo aspecto conciso da imagem que se sobrepõe às retóricas visuais. Tozzi está sempre preocupado em desvencilhar-se dos aspectos subjetivos da linguagem; sua objetividade chega, às vezes, a ser desconcertante.